Ajude a manter o blog. Faça sua contribuição de qualquer valor clicando no botão abaixo.

PALESTRAS E ENCONTROS

Sua paróquia ou sua comunidade precisa de formação, fale com seu pároco e entre em contato pelo e-mail: carloscasabela@hotmail.com .



terça-feira, 18 de novembro de 2008

VOCABULÁRIO BÁSICO DO CATEQUISTA - LETRA E



O objetivo deste vocabulário é oferecer explicações mais simples de palavras religiosas mais comuns, necessárias para o conhecimento e formação dos catequistas.


ECLESIASTES – Livro sapiencial do AT, também chamdo Qohelet.
ECLESIAL – Refere-se à experiência e à vida da Igreja.
ECLESIÁSTICO – Livro sapiencial do AT também chamado Livro de Bem Sirac ou Sirácida. Este livro não se encontra nas bíblias protestantes.
ECLESIOLOGIA – Estudo da realidade da Igreja não só sobre os aspectos da estrutura, história e culto mas especialmente sobre os aspectos ministeriais.
ECUMENISMO - Movimento entre as Igrejas cristãs em busca da unidade que quer dar resposta à palavra de Jesus: “que todos sejam um” (Jo 17,21).
EDUCAÇÃO DA FÉ – É a atividade que busca amadurecer a fé dos cristãos. Esta expressão define a catequese (cf. CT 18).
EFOD – Tipo de uma túnica adornada de ouro e jóias, usada pelo sumo sacerdote, judeu, no exercício de suas funções (Ex 28,4-14). Dava-se também o nome de Efod a uma espécie de divindade que se colocava nos santuários (1Sm 21,10).
EFRAIM – É apresentado como filho de José e irmão de Manassés (Gn 41,52). É o nome também de território geográfico.
EFFATÁ – Expressão aramaica que significa “abra-te” e pronunciada por Jesus ao curar o surdo-mudo (Mc 7,34).
EGITO – Na Bíblia aparece ligado a Israel como dominador político e cultural.
EL – Nome que os semitas deram a Deus e que inclui a noção de forte, como: El Shadai = Todo Poderoso (Gn 28,3).
ELOIM – Plural de EL = Deus de teus antepassados (Ex 3,6.15).
ELOISTA – Uma das 4 fontes de tradições usadas para a formação do Pentateuco.
EMANUEL – Palavra hebraica que significa “Deus conosco”. É usada na profecia de Isaías para descrever o Messias (Is 7,14; 8,8). Em Mateus 1,23 é aplicada a Jesus que é o Deus que está com seu povo.
EMAÚS – Localidade próxima de Jerusalém onde Jesus ressuscitado apareceu a dois discípulos (Lc 24,13-32).
ENCARNAÇÃO – É o Mistério de Deus que assume a natureza humana. Jesus Cristo, segunda pessoa da Santíssima Trindade, se encarnou no seio da Virgem Maria por obra do Espírito Santo (Lc 2). Jesus é verdadeiro Deus e verdadeiro homem numa só pessoa.
ENCÍCLICA – Carta circular para toda a Igreja, que a partir do século VII ficou reservada para os documentos do Papa. A encíclica não é a proclamação de uma verdade da fé, mas uma declaração do Magistério do Papa.
EPIFANIA – Esse termo designa manifestação de Deus. Festa do calendário cristão. É a manifestação de Cristo a todos os povos, refletida na visita dos reis magos do oriente.
EPISCOPADO – Conjunto de bispos e arcebispos, bispado.
EPÍSTOLA – Cartas dirigidas às comunidades. Os escritos de São Paulo são, em geral, epístolas, como também as cartas de Tiago, Pedro, João e Judas.
EROS – É o deus grego do amor carnal. Um dos deuses mais antigos e poderosos. Tem também o nome de cupido.
ESCAPULÁRIO ou bentinho – é uma veste que cai pelo peito e pelas costas; é o distintivo do hábito das ordens religiosas ou confrarias. Numa forma redutiva, consiste em dois pedaços de pano ou plástico, unidos por fitas ou barbante, que ficam sobre o peito e as costas. É a adesão dos leigos à espiritualidade de uma ordem religiosa. O escapulário mais usado é a de Nossa Senhora do Carmo.
ESCATOLOGIA – Doutrina ou tratado sobre as últimas realidades: a salvação final querida por Deus, o juízo final, a parusia, a ressurreição. Pode-se interpretar que a escatologia já começou aqui e agora.
ESCRIBA – (ver em Doutor da Lei).
ESCRITURA, SAGRADA – É o mesmo nome da Bíblia. É a fixação gráfica da Palavra de Deus.
ESOTERISMO = OCULTISMO – Doutrina ou práticas que se mantém ocultas e se revela apenas aos iniciados. É o conhecimento direto da verdade que se adquire por meio dos símbolos e alegorias.
ESPERANÇA – É uma das três virtudes teologais. Aparece junto à caridade e à fé (1Cor 13). É o sentimento e a atitude fundados na fé pelos quais os cristãos aguardam a salvação, o cumprimento das leis divinas, superando as dificuldades da vida humana.
ESPIRITISMO – Doutrina elaborada por Alan Kardec, em 1847. Suas características: prática da evocação dos mortos; crença dos espíritos divididos em categorias de imperfeitos, bons e puros. O médium é o homem capaz de pôr-se em contato com os espíritos, através de transes, escritos, fenômenos paranormais e forças ocultas. Crêem na reencarnação.
ESPÍRITO SANTO – Terceira pessoa da Santíssima Trindade. No NT aparece o Mistério da Trindade: o Espírito Santo desce sobre Maria para que nela se realize a Encarnação (Lc 1,35); sobre Jesus quando é batizado e começa sua vida pública (Lc 3,22). É denominado de Espírito da verdade, o Consolador, o Paráclito. Jesus promete aos seus discípulos que lhes enviará o Espírito o que se realizou em Pentecostes (At 2).
ESPIRITUALIDADE – É a capacidade de entrar em sintonia com Deus. Todas as religiões possuem uma espiritualidade; é a força interior que alimenta a vida espiritual de seus adeptos.
ESSÊNIOS – Nome dado a grupos de judeus que viveram em comunidade, em vida contemplativa, em Qumrám, junto ao Mar Morto. Criaram uma estrutura religiosa com escritos entre os séculos 2º antes de Cristo e o 1º depois de Cristo.
ESTÍGMAS – refere-se às chagas de Cristo. Estigmatizado é aquele que vê reproduzidas em seu corpo as chagas que Cristo teve em sua Paixão. No corpo de São Francisco de Assis foram reproduzidas estas chagas ou sinais de Cristo.
ESTOLA – Sinal de serviço sacerdotal. É uma faixa larga que os celebrantes colocam sobre a alva, sobre os ombros e as costas. Sua cor é determinada pela liturgia do dia. O diácono usa a estola atravessada partindo do ombro.
ETERNIDADE – Falamos de eternidade para nos referir à vida eterna ao passar desta vida à futura. Duração, sem princípio nem fim. Deus é eterno porque vive fora do tempo. Na expressão popular indica algo que dura muito e tem conotação penosa.
ÉTICA CRISTÃ – Trata do comportamento humano com compromisso de vida cristã.
EUCARISTIA – Termo grego que quer dizer Ação de Graças. É o maior dos sacramentos, em que o próprio Cristo está presente. Designa a refeição em que Jesus partiu o pão e deu a seus apóstolos como seu corpo e abençoou o cálice de vinho como cálice de seu sangue, da Nova Aliança. Recebe os nomes de: Ceia do Senhor, Última Ceia, Fração do Pão, Ágape, Comunhão, Missa.
EUTANÁSIA – Palavra grega que quer dizer boa morte. Consiste em provocar a morte de alguém para evitar que sofra em doença incurável. É ação imoral, que não pode ser justificada por nenhum motivo. A Igreja condena a eutanásia.
EVA – É o nome que Adão deu à primeira mulher (Gn 3,20). Significa “mãe de todos os viventes”.
EVANGELHO – Palavra grega que significa boa nova, boa notícia. Além da pessoa de Jesus como boa nova, evangelho significa também o conteúdo, ensino ou mensagem transmitidos por Jesus. Os livros que transmitem esta mensagem são os evangelhos escritos pelas comunidades de Mateus, Marcos, Lucas e João.
EVANGELHOS SINÓTICOS – dos quatro evangelhos, três são chamados sinóticos: Mateus, Marcos e Lucas por terem semelhança na estrutura dos escritos. Sinótico = parecido.
EVANGELIZAÇÃO – Ato de anunciar o Evangelho. A evangelização é o que define a missão da Igreja. É a sua identidade mais profunda (EN 14).
EXEGESE – Conjunto de ciências e métodos de interpretação com as quais são estudadas as Escrituras para descobrir sua história, texto, sentido, mensagem e origem.
EXÉQUIAS – Conjunto de ritos e orações que a Igreja realiza por ocasião da morte de um cristão, desde a sua morte até seu sepultamento.
EXÍLIO – Na Bíblia é o período em que o povo do Reino do sul – Judá – passou como cativo na Babilônia, de 587 a 538 a.C.
ÊXODO – Palavra grega: exodus, que quer dizer saída devido ao acontecimento central que narra o Livro do Êxodo: a saída do povo de Israel do Egito em busca da Terra prometida.
EXORCISMO – Prática que se encontra em todas as religiões antigas. São atos rituais destinados a expulsar do corpo de uma pessoa as forças maléficas, os deuses irritados, demônios e feitiçarias. Serviam também para livrar os doentes de seus males físicos e psíquicos ou para favorecer o êxito social, a prosperidade e as relações amorosas. Diferentemente das religiões antigas, o exorcista católico não opera com o seu próprio poder, mas pede a Deus o afastamento dos maus espirituais. O poder de expulsar os maus espíritos, em nome de Cristo, é exercido pelo diácono e pelo sacerdote a quem o bispo designa para esta missão.
EXPIAÇÃO – Palavra latina que quer dizer reparação. Como prática religiosa é apresentada como oferendas e sacrifícios a Deus para alcançar a remissão do pecado. Assim, Lv 15 descreve um rito sugestivo de expiação: um bode, que recebe, como carga simbólica, todos os pecados da comunidade. Daí o nosso costume de chamar de “bode expiatório” uma pessoa que “paga o pato” pelas faltas dos outros.

Nenhum comentário: